Como trabalha o Psicólogo / Psicanalista?

A terapia com o psicólogo/psicanalista pode ser um caminho para novas descobertas a respeito de si mesmo e uma reflexão sobre seus sentimentos e comportamentos.

Os Psicólogos e os psicanalistas ajudam as pessoas a lidarem de forma diferente com seus problemas ou conflitos. Cada pessoa tem sua singularidade e subjetividade, portanto isto será sempre respeitado pelo Psicólogo, a fim de proporcionar as condições mais favoráveis para que a melhora ocorra. O Sigilo do Psicólogo é o principal ingrediente do relacionamento psicoterapêutico. A relação de confiança com o profissional estrutura o laço afetivo psicoterapêutico para que o trabalho aconteça. 

Assuntos com tristeza, ansiedade, insegurança, medo, sentimentos de culpa e angústia, falta de prazer e sentido na vida, incertezas, fobias, apatia, dores psicossomáticas, luto, traumas, insatisfações nos relacionamentos e trabalho, podem ser trabalhados na terapia. Todos estes assuntos muitas vezes chegam ao consultório e as pessoas muitas vezes se sentem perdidas e com dificuldades de encontrar uma saída para resolver seus problemas, e decidir por algum caminho. 

O psicólogo quando é procurado para uma primeira consulta de psicoterapia, oferece a escuta terapêutica e acolhe a angústia do paciente, tentando compreender onde ele precisa de ajuda. A partir desta primeira consulta é que ambos decidirão se haverá o prosseguimento rumo ao tratamento psicológico, ou seja, para a psicoterapia (chamada assim pelo psicólogo) sou análise pessoal (para o psicanalista). 

A psicoterapia ou análise, poderá ajudar você a lidar de uma forma diferente com as suas questões emocionais, pois os sentimentos de angústia e ansiedade poderão ser trabalhados durante o processo de análise. O profissional lhe oferece sua escuta propiciando esta transformação através da atenção ao que lhe é dito e com suas pontuações ao que acredita ser fundamental ser trabalhado. Por meio da relação de confiança estabelecida na terapia, compreende-se que o paciente desenvolve o conhecimento e reconhecimento de novas possibilidades de agir e reagir em sua dinâmica diária com familiares, amigos e pessoas com quem convive.



Qual a diferença entre o Psicólogo e o Psicanalista?

Ambas, psicologia e psicanálise são formas de psicoterapia, pois são práticas de trabalho que se baseiam na escuta e na palavra. 

A Psicologia surgiu entre 1860/1870 com a tentativa de estudar a mente humana a partir da introspecção e de estudos experimentais. Portanto, a psicologia teria um discurso mais teórico sobre o funcionamento mental. Os primeiros psicólogos profissionais centraram seus experimentos nas experiências conscientes. 

A psicanálise nasceu com Sigmund Freud em Viena, na Áustria, em 1897 como uma prática. Freud era neurologista, iniciou seus estudos com a histeria e definia a psicanálise como método de tratamento e como forma de investigação de aspectos psíquicos que seriam inalcançáveis de outra forma, que não fosse através da fala. Podemos ver aí uma diferença entre a psicologia e a psicanálise: enquanto a primeira seria um discurso mais teórico sobre o funcionamento mental, a segunda surge como uma tentativa de apaziguar o sofrimento psíquico das pessoas, de entender o surgimento das neuroses e compreender como os conflitos humanos operam no interior das funções mentais e da vida social do ser humano.

A formação de ambos também é diferente: o psicólogo se forma em uma faculdade de psicologia que ele frequenta por quatro ou cinco anos, num curso de psicologia regulamentado pelo Estado e que consiste de diversas disciplinas distribuídas, inclusive a psicanálise. 

O psicanalista estuda e se forma em associações e instituições próprias, que se dedicam exclusivamente ao estudo da psicanálise e à formação de psicanalistas, como escolas de psicanálise, sociedades de psicanálise e também pode participar de grupos de estudos em psicanálise. Por essa razão, um psiquiatra também pode optar por estudar a psicanálise e se habilitar a praticar a psicanálise tendo feito a faculdade de medicina. Ou seja, o profissional pode optar por ser psicanalista após ter feito a faculdade de psicologia ou medicina. Há psicanalistas que não tem nenhuma destas duas formações, tendo vindo de diferentes áreas do conhecimento como filosofia ou direito, por exemplo. 

Uma das exigências da psicanálise é que todo psicanalista faça sua própria análise pessoal com outro psicanalista. Esta é uma ética própria à formação do psicanalista. A supervisão com um psicanalista mais experiente é outra exigência que se faz no início da prática de todo psicanalista. 

Outra exigência é o conhecimento profundo e extenso da teoria e da bibliografia que subsidia seu trabalho. A formação do psicanalista é uma formação séria, longa e profunda. Não existe formação apenas online e a psicanálise não oferece carteirinhas nem distintivos. 

Temos que dar mostras da nossa formação através deste longo processo de estudo a aprendizado e também participar da transmissão da psicanálise através de colóquios, palestras, apresentação de trabalhos e demais formas possíveis de fazer a psicanálise estar presente em nossa atualidade.