Tratando a ansiedade


A ansiedade pode ser tratada pela psicanálise?

A ansiedade pode acometer qualquer pessoa. Geralmente ocorre uma sensação de apreensão, mesmo quando se supõe que nada está para acontecer, não existindo por isso motivo aparente para esse sentimento. Dentro de um quadro clínico de ansiedade, a pessoa que sofre com ela não consegue sentir com clareza quais fatores que desencadeiam as crises. Através da escuta de um profissional, é possível mensurar o grau desta ansiedade e através desta conversa descobrir as razões ou as origens que te impedem de viver mais tranquilamente. 

Podemos afirmar que os quadros de ansiedade são perfeitamente tratáveis pela psicanálise, podendo ter bons resultados, e não necessariamente o tempo de trabalho precisa ser longo. No decorrer das sessões, buscamos identificar de onde vem a ansiedade: ela pode estar relacionada a algum medo (que é algo que conseguimos nomear, identificar), ou pode ser uma angústia, quando nosso pensamento começa a ficar confuso e não conseguimos identificar muito bem do que é que a gente tem medo.

Essa ansiedade pode significar também expectativas demais: posso querer muito uma coisa mas não sei se ela vai acontecer, ou o contrário: não quero uma coisa que não sei se vai acontecer e tenho receio de não conseguir evitar que tal fato ocorra. 

Quando essa ansiedade se encontra num grau um pouco mais "elevado", se pudéssemos dizer assim, surgiria então a angústia - muito próxima do que conhecemos como pânico, que foi um conceito descrito pela primeira vez por Freud como neurose de angústia. 

Existem algumas formas de angústia onde a pessoa tem dificuldades para pensar, apenas vai fazendo, sem conseguir pensar e sem conseguir sentir, ela não se dá conta de que não está sentindo, mas apenas agindo e tentando controlar as coisas e os acontecimentos, coisas que ainda vão acontecer naquele dia ou na semana seguinte ou no futuro próximo, e acaba produzindo uma super dependência em relação às contingências, aos acontecimentos da realidade. 

As angústias também podem ser somáticas - aquelas sensações de desconforto, de inadequação, de mal-estar às vezes acompanhados de dores ou de formações somáticas como dores de garganta, infecções, problemas dermatológicos e que são muitas vezes uma espécie de destino para aquilo que não pudemos ou não soubemos colocar em palavras. 

Daí a importância da psicoterapia: poder ter um espaço para poder falar sobre seus medos, sua ansiedade, suas expectativas. Ter um tempo e um espaço para poder falar de si mesmo pode favorecer o bem estar no sentido de que a pessoa poderá lidar de outras maneiras com o que a faz sofrer, com as demandas do mundo, da sociedade, da família, podendo ao longo do tratamento, identificar o que realmente a prendia nestes sintomas e identificando também o que a faz realmente mais feliz e satisfeita em suas atividades, conquistas ou ambições.